Por que se exercitar faz tão bem ao cérebro?

29 ago Por que se exercitar faz tão bem ao cérebro?

A prática de exercícios físicos é capaz de produzir inúmeros benefícios ao nosso corpo, alguns bem conhecidos, como aumento de força, disposição, prevenção de doenças cardiovasculares entre outros, mas você sabia que exercitar o corpo também traz benefícios para a saúde mental?
É isso mesmo, praticar exercícios físicos traz vários benefícios para o cérebro que vão desde a melhora da função cognitiva, humor, redução do risco de demência e prevenção de AVC (acidente vascular cerebral).
Quando você começa a se exercitar, seu cérebro reconhece isso como um momento de estresse (estresse bom diferente do estresse desencadeado por eventos negativos). E para proteger o organismo do estresse físico o seu cérebro libera uma proteína chamada fator neurotrófico derivado do cérebro  BDNF (Brain-Derived Neurotrophic Factor). Esta proteína (BDNF) tem um elemento que protege e repara os neurônios e a memória.
Além desta proteína o cérebro também libera serotonina, por isso que nos sentimos muitas vezes felizes e relaxados após realizar exercícios físicos.
Nas últimas duas décadas, desde quando se descobriu que o exercício físico aumenta a liberação de BDNF no cérebro de ratos, um grande número de pesquisas foram destinadas a estabelecer uma conexão entre o exercício físico, os níveis dessa neurotrofina e os seus efeitos benéficos no cérebro de animais e humanos.
Estudos recentes mostraram que há um potencial benefício no aumento da expressão de BDNF e liberação do mesmo pelo cérebro e alguns tecidos periféricos, induzidas pelo exercício físico, resultando em uma melhora no funcionamento cerebral, através de uma melhora na plasticidade sináptica no hipocampo.
Há evidências sugerindo que o aumento dos níveis de anandamida durante o exercício pode ser um dos elementos-chave para o incremento de BDNF, que exerce efeitos benéficos sobre a cognição através da sua capacidade de aumentar a neurogênese, plasticidade sináptica e potenciação a longo prazo, a base de aprendizagem (Leckie et al., 2014) [2]

Confira abaixo alguns benefícios dos exercícios físicos para o cérebro:

Melhora do humor: Estudos relacionam à atividade física com a maior produção de neurotransmissores, como a serotonina. Já o aumento do número de sinapses previne a atrofia do hipocampo, associada à depressão e ansiedade.

Aumento da motivação: Praticar atividade física ativa a produção de dopamina (neurotransmissor responsável pelas sensações de prazer e motivação).

Melhora memória: Estudos mostram que pelo menos 20 minutos de exercícios aeróbicos podem aumentar significativamente o fluxo sanguíneo para o hipocampo, a parte do cérebro responsável pela memória e aprendizagem.

Concentração: Ao realizar exercícios aumentamos o fluxo sanguíneo para o cérebro. O sangue fornece oxigénio e glicose, que o cérebro precisa para a execução de tarefas como a atenção e concentração mental.

Previne Acidente Vascular Cerebral: Com a melhora do condicionamento físico e aumento da capacidade cardiorrespiratória a pressão sanguínea do corpo em repouso é reduzida, o que diminui o risco de AVC. O exercício desencadeia também a liberação do gás óxido nítrico, que dilata os vasos para permitir a passagem de um maior volume de sangue.

Se você já é adepto da atividade física percebeu que só existem ainda mais vantagens na prática. E se você ainda não pratica nenhum exercício físico é um ótimo momento para começar!

Por Equipe Espaço Volpi – revisão final por Dr. Diogo Simão CRM 149.544 (médico do Espaço Volpi)

Gostou deste artigo? Então enriqueça este artigo com seu comentário, registre a sua opinião e compartilhe conosco suas experiências!