Nosso Blog

Entre em contato

A correlação entre alimentação e saúde mental

Dieta e saúde mental

12 jan A correlação entre alimentação e saúde mental

A conexão entre dieta e emoções decorre da estreita relação entre seu cérebro e seu trato gastrointestinal, muitas vezes chamado de “segundo cérebro”.

É assim que funciona: seu trato gastrointestinal é o lar de bilhões de bactérias que influenciam a produção de neurotransmissores, substâncias químicas que constantemente carregam mensagens do intestino para o cérebro. (Dopamina e serotonina são dois exemplos comuns.)

Comer alimentos saudáveis ​​promove o crescimento de bactérias “boas”, que por sua vez afeta positivamente a produção de neurotransmissores. Uma dieta regular de alimentos ultraprocessados, por outro lado, pode causar inflamação que prejudica a produção desses neurotransmissores. Quando a produção de neurotransmissores está em boa forma, seu cérebro recebe essas mensagens positivas em alto e bom som e suas emoções as refletem. Mas quando a produção dá errado, o seu humor também pode ser afetado.

O açúcar, em particular, é considerado o principal culpado pela inflamação, além de alimentar bactérias “ruins” no trato gastrointestinal. Ironicamente, ele também pode causar um pico temporário nos neurotransmissores de “sensação boa”, como a dopamina. Isso também não é bom para você. O resultado é uma corrida passageira do açúcar, seguida logo em seguida por uma queda terrível para o seu humor.

Quando você segue uma dieta de alimentos saudáveis, está se preparando para menos flutuações de humor, uma perspectiva geral mais feliz e uma maior capacidade de concentração. Estudos descobriram que dietas saudáveis ​​podem ajudar com sintomas de depressão e ansiedade, ao passo que as dietas não saudáveis são associadas a um risco aumentado de demência.

Alimentos que ajudam você a ser mais saudável

Alimentos integrais
Segundo estudos, conservantes, corantes alimentares e outros aditivos podem causar ou piorar a hiperatividade e a depressão.  Prefira alimentos minimamente processados e integrais como frutas e vegetais frescos.

Fibra
Alimentos à base de plantas são cheios de fibras, o que ajuda seu corpo a absorver glicose – ou açúcares  mais lentamente e ajuda a evitar quedas de açúcar. Alimentos ricos em fibras incluem frutas, vegetais e carboidratos complexos como grãos inteiros e leguminosas .

Antioxidantes
São especialmente abundante em frutas, vegetais de folhas verdes, em temperos como  açafrão e alimentos com ácidos graxos ômega-3, incluindo salmão e sementes pretas chia. 

Folato
Este tipo de vitamina B ajuda na produção de dopamina sem forçá-la a aumentar da mesma forma que os açúcares. Você pode encontra-lo em folhas verdes, lentilhas e melões .

Vitamina D
A vitamina D ajuda na produção de serotonina, e geralmente a obtemos com a exposição à luz solar. Mas você pode consumir cogumelos que são os únicos alimentos que fornecem vitamina D

Magnésio
Este mineral essencial ajuda em tudo, desde as funções nervosas e musculares até manter o batimento cardíaco estável. Mas também é vital para a conexão comida-humor: uma deficiência de minerais pode prejudicar as bactérias em seu intestino e causar depressão e sintomas semelhantes aos de ansiedade. Abasteça-se de fontes naturais como chocolate amargo, nibs de cacau, amêndoas e castanha de caju, espinafre e outras folhas verdes escuras, bananas e feijões .

Alimentos fermentados
Os alimentos
 fermentados são repletos de probióticos, bactérias vivas que são boas para o trato digestivo. Os exemplos incluem miso e kombuchá.

Your html code will go here